O valor da marca: um ativo intangível 

0
240

A 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central de São Paulo levou à leilão a marca Daslú, famosa grife de luxo paulistana, que oferecia aos clientes produtos de marcas consagradas, nos anos 1990 e 2000. 

Com avaliação inicial de R$ 1,2 (um milhão e duzentos mil reais), os direitos de uso das marcas e do domínio foram arrematados por 10 milhões de reais, que serão destinados ao pagamento de dívidas do grupo Daslú. Sob este aspecto, o sucesso do leilão da marca, que atingiu cifras 8 vezes superior ao valor da avaliação, denota a importância da proteção de marca como relevante ativo intangível e de alto valor agregado para as empresas, mesmo após o encerramento das atividades empresariais.  

Através das marcas as empresas constroem sua identidade e reconhecimento junto ao público consumidor, de forma que rememora o histórico de experiências dos usuários, assim como, a qualidade de seus serviços ou produtos. Por ser um ativo intangível, muitas vezes a marca não é reconhecida como um ativo pelos empresários, que deixam de dar a devida importância na sua construção ou sua valoração financeira de maneira adequada. 

Explicando melhor sobre os ativos intangíveis, estes são bens que compõe o fundo de comércio da empresa como, por exemplo, marcas, patentes, direitos autorais, dentre outros, os quais não possuem representação monetária automática no patrimônio da empresa. Justamente em razão de sua natureza incorpórea e de difícil mensuração, são, por vezes, relegados a segundo plano.  

No caso das marcas é possível estimar seu valor mediante avaliação, conhecida como “brand valuation”, que levará em conta aspectos relacionados ao mercado, à empresa e, também à própria marca, para obtenção de resultados que mensurem o valor deste ativo. Anualmente, são publicados rankings das marcas mais valiosas do Brasil e do mundo que apresentam estimativas de seus valores e demonstram o constante movimento da valoração das marcas perante o mercado. 

O primeiro passo para proteção – e valoração – deste importante ativo intangível é promover o registro da marca perante o Instituto Nacional de Propriedade Industrial e garantir o uso exclusivo ao titular.  Ao garantir a exclusividade do direito de uso da marca, o titular está apto a explorá-la economicamente, inclusive vendê-la à terceiros, sendo o estudo de valoração instrumento imprescindível para demonstrar, de forma efetiva, o valor econômico e a importância da marca como ativo intangível da empresa. 

Fonte: G1